Como abrir uma empresa de comércio

Você quer abrir uma loja ou um comércio varejista? Pensou em abrir uma comércio para vender no atacado? Nós conseguimos te ajudar em todo o processo. Entenda como abrir uma empresa de comércio.

Você sonha em ser dono do seu próprio negócio e gostaria de abrir uma empresa de comércio? Então esse conteúdo foi feito para você. O portal Quero Abrir Empresa preparou esse artigo justamente para explicar o passo a passo de como abrir uma empresa de comércio.

Como o negócio deve ser legalizado? Quais são os cuidados que o empreendedor precisa ter para abrir uma empresa de sucesso? Leia esse conteúdo até o fim e saiba exatamente o que precisa fazer para alcançar os seus objetivos, abrindo uma empresa de comércio forte, sustentável e duradoura.

E se você precisar de ajuda – e já adiantamos que irá precisar – saiba que nós estamos à sua disposição.

O que é uma empresa de comércio?

É aquela que vende produtos industrializados ou artesanais para terceiros. Ela apenas vende, não produz. Os principais tipos de empresas de comércio são:

• Comércio varejista: venda de pequenos volumes de mercadorias para o cliente final.

• Comércio atacadista: venda de maiores volumes para outras empresas.

• E-commerce: venda on-line pela internet.

Os números do comércio

O comércio sempre foi um bom negócio, e os números provam isso. Em 2018, somente o comércio varejista foi responsável por 20,25% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo. Entre 2017 e 2018, o setor movimentou nada menos do que R$ 1,34 trilhão.

O número de comércios varejistas também é crescente. Em 2014, mais de 200 mil empresas de comércio abriram a porta, sendo que no ano seguinte esse número saltou para mais de 300 mil, se mantendo estável nos dois anos seguintes. Em 2018, o número de novos comércios varejistas chegou a 500 mil e apenas na metade de 2019 ultrapassou 400 mil novas lojas.

O Brasil tem, hoje, mais de 4,8 milhões de comércios varejistas, e a região sudeste ocupa o primeiro lugar do ranking, com 2,2 milhões de negócios, seguida do nordeste, com 1.1 milhão, o sul, com 800 mil, o centro-oeste como 400 mil e, finalmente, o norte, com 300 mil comércios varejistas.

Ainda de acordo com a SBVC, o Brasil tem 2,4 milhões de negócios em varejo como microempreendedores individuais e 2,3 milhões de negócios como pequenas empresas.

Montar um plano de negócios é o primeiro passo

O primeiro passo, seja qual for o ramo do seu futuro negócio, é montar um plano de negócios. Não tenha dúvidas de que essa é uma etapa que não pode ser pulada porque é fundamental para que o negócio dê certo e siga adiante.

Um plano de negócios nada mais é do que o planejamento da futura empresa. É neste documento que você vai alinhar todas as informações sobre o negócio, do nome da loja ao ponto de venda, da descrição dos produtos aos investimentos a serem feitos, passando por questões como ações de marketing, estudo da  concorrência, planejamento financeiro e recursos humanos, entre tantas outras.

Na internet você encontrará um sem número de exemplos de planos de negócios. O importante é adaptá-los para a sua realidade. Empenhe-se nessa tarefa, porque um plano de negócios bem feito evita erros e inconsistências que podem custar caro quando o negócio efetivamente estiver funcionando.

Você vai precisar de um contador especializado

A contratação de um contador ou de uma assessoria contábil é obrigatória e absolutamente necessária. Além de cumprir com a lei, o trabalho do contador de fato fará toda a diferença para o seu negócio.

É ultrapassada a visão de que o contador apenas arruma os números, emite guias de impostos e cuida da folha de pagamento, entre outras tarefas burocráticas. Sim, tem muito trabalho burocrático e necessário a ser feito, mas a contabilidade vai muito além disso. A verdade é que o contador oferece informações privilegiadas e profundas sobre o negócio, que ajudarão na gestão e na tomada de decisões gerenciais.

Como escolher a assessoria contábil ideal para o seu negócio?

É preciso contratar um contador ou uma assessoria contábil, mas como fazê-lo? O trabalho que o contador irá realizar é muito relevante para o negócio, por isso é muito importante saber escolher um bom profissional, que trabalhe com foco nos resultados do negócio.

Não contrate o primeiro contador que alguém indicou ou que é apenas um conhecido seu ou parente de um amigo. Empenhe-se nessa tarefa de achar o melhor para a sua empresa de comércio. Opte por um profissional que tenha experiência no seu ramo de atuação, porque ele poderá contribuir muito mais com o seu negócio.

Peça indicações para outros empresários do seu setor. Se possível, visite o escritório para conhecer a estrutura da assessoria contábil e converse sobre o contrato de prestação de serviços, para que cobranças extras não lhe surpreendam. Certifique-se que a assessoria conta com softwares modernos e que o contador estará disponível sempre que for necessário.

Fale para o contador que você espera por uma assessoria ativa, que apoie a sua gestão. Isso é fundamental para que a contabilidade seja um diferencial no seu negócio, turbinando os resultados.

Definindo as questões jurídicas da sua empresa

Algumas questões absolutamente relevantes precisarão ser definidas antes da legalização da empresa. Você poderá registrá-la como uma microempresa individual (MEI), uma microempresa, uma empresa de pequeno porte, de médio porte ou uma empresa de grande porte.

Uma MEI só pode faturar até R$ 81 mil anuais e tem permissão para contratar um só empregado. Uma microempresa pode faturar até R$ 360 mil e uma empresa de pequeno porte pode faturar até R$ 4,8 milhões.

E a natureza jurídica do empreendimento? Isso é fundamental também, porque vai definir o regime tributário, ou seja, quais e quanto pagará de imposto, e também se a empresa terá que ter sócios, além da definição do valor mínimo do seu capital social.

A empresa poderá ser uma sociedade empresária limitada (que permite dois ou mais sócios), uma sociedade limitada pessoal (tal qual a limitada, mas de um só dono), uma empresa individual de responsabilidade limitada individual – EIRELI (um só dono, com capital social mínimo de cem salários mínimos) ou uma empresa individual – EI.

O contador vai lhe explicar as características de cada natureza jurídica e o que é o melhor para você, não se preocupe com isso. É exatamente essa a função dele!

Qual será o regime de tributação?

Os três regimes de tributação são:

• Simples Nacional: O faturamento não poderá ser superior a R$ 4,8 milhões anuais. É emitida apenas uma guia, com oito diferentes impostos municipais, estaduais e federais, e a alíquota depende do ramo de atuação.

• Lucro presumido: A empresa pode faturar até R$ 78 milhões anuais, com cálculo de tributos sobre um lucro presumido.

• Lucro real: Os impostos são pagos sobre o faturamento real. Esse regime é obrigatório para algumas empresas.

O contrato social deve ser feito com todo o cuidado e atenção

Você sabe da importância do contrato social? Ele é como a constituição da empresa, ou seja, é ali que estarão definidas todas as regras de funcionamento do negócio. O contrato social traz, por exemplo, a participação de cada sócio no negócio. Também define o pró-labore deles.

Portanto, esse documento que será registrado na Junta Comercial precisa ser feito com todo o cuidado porque ele quem será o “juiz” de alguma desavença entre os sócios. O escritório de contabilidade contratado para formalizar a empresa vai ajudar a prepará-lo da melhor forma possível.

Registrado o contrato social, a empresa poderá solicitar o seu CNPJ junto a Receita Federal.

O alvará de funcionamento e as licenças obrigatórias

Depois do registro do contrato social e da obtenção do CNPJ, é hora do alvará de funcionamento e das licenças obrigatórias. Absolutamente todos os 5.570 municípios do país, mais do Distrito Federal, exigem que as empresas solicitem um alvará de funcionamento. O negócio sequer pode começar sem essa licença.

Em muitas cidades é possível conseguir o alvará pela internet. A prefeitura dirá, ainda, se o imóvel escolhido poderá abrigar a empresa. Quanto às demais licenças obrigatórias, elas dependem do tipo de negócio. As principais para uma empresa de comércio são:

• Atestado de Vistoria para Funcionamento do Corpo de Bombeiros;

• Licença Ambiental;

• Licença Sanitária;

• Registro de produtos químicos (negócios que atuam com produtos controlados pela Polícia Federal).

E a inscrição estadual, como fica?

Uma empresa que vende produtos deve recolher o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) e Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), portanto precisa de registro na Secretaria de Fazenda de seu Estado. Ou seja, é obrigada a ter a inscrição estadual. Muitos estados têm convênio com a Receita Federal, e assim ao solicitar o CNPJ conseguirá automaticamente a inscrição estadual. Caso contrário, será preciso procurar a Secretaria de Fazenda do Estado.

Quanto você vai gastar para abrir a sua empresa?

São dois os gastos que você terá no processo de legalização do seu empreendimento. Você precisará pagar pelas taxas da formalização e pelos serviços do contador. Não há um padrão único, porque isso depende do ramo de atuação, do tamanho da empresa e do município onde ela estará localizada.

O alvará de funcionamento, por exemplo, pode sair de graça ou custar até R$ 2 mil, dependendo da cidade. O trabalho do contador também vai variar entre R$ 800,00 e R$ 2 mil. Um estudo da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) indica que o custo médio para abrir uma empresa é de R$ 2.038,00, podendo esse  alor variar em até 274%, dependendo do município em questão.

Comércio em alta

• Produtos de limpeza;
• Saúde;
• Produtos para pets;
• Material de construção civil;
• Alimentação em geral;
• E-commerce em geral.

O ponto de venda

Dependendo do ramo de atuação, uma empresa de comércio precisa necessariamente de um ponto de venda muito bom, que turbine as vendas. Uma loja muito bem localizada e chamativa sempre terá mais chances de venda, certo?

Há comércios que atuam mais pelo telefone, como, por exemplo, lojas que vendem peças específicas de computadores. Nestes casos, pequenas salas comerciais podem ser suficientes e dar conta do recado. É importante que haja espaço para atendimento ao público e para o estoque, portanto recomenda-se que haja ao menos dois cômodos.

Ainda assim, se essas empresas tivessem uma loja de rua ou de shopping, teriam muito mais visibilidade. Um bom ponto de venda é aquele por onde passa um alto fluxo de pessoas e que seja servido por diferentes opções de transporte público. É desejável que haja oferta de vagas de estacionamento.

Cada tipo de comércio pede um ponto de venda. Uma pet shop, por exemplo, pode se dar muito bem se for localizada ao lado de grandes condomínios, onde estão efetivamente os pets. Um pequeno mercado deve procurar se estabelecer onde não haja oferta de grandes mercados, senão não sobrevive. Estude muito bem a melhor localização para sua empresa e invista em comunicação visual, pois uma loja bonita e vistosa sempre chama mais a atenção.

Muita atenção com o estoque

Uma empresa de comércio precisa fazer um controle muito severo sobre o seu estoque, e isso não é tão simples assim. Lembre-se de que você não pode comprar mercadorias em excesso, para não empatar dinheiro nisso, mas também não pode ficar sem produto, perdendo vendas. É, de fato, uma equação complicada.

Assim, é fundamental controlar o estoque de forma bastante rigorosa. Faça sempre a contagem dos produtos, veja o que vende mais ou menos, lembre-se dos prazos de entrega estipulados pelos fornecedores e busque um equilíbrio entre o que você compra e o que você vende.

O capital de giro precisa ser muito bem administrado

Converse com o seu contador sobre o capital de giro de seu negócio. Administrá-lo de forma muito rigorosa é importante para o sucesso do negócio. Você precisará de dinheiro em caixa para comprar mercadorias, porque sem elas simplesmente não haverá vendas.

Em geral, fornecedores dão prazos para os pagamentos, mas muitas vezes você também oferecerá o mesmo para os seus clientes, portanto fique de olho nessa equação.

Dicas para seu comércio ter sucesso

• Não pense que suas vendas dependem apenas do preço cobrado. O consumidor exige bom atendimento, mesmo que tenha que pagar um pouco mais por isso. Invista na excelência do atendimento.

• Olho vivo na concorrência. Tenha os produtos básicos que ela oferece, mas aposte em produtos exclusivos.

• Pense em promoções que atraiam mais clientes. Mas cuidado para não perder dinheiro.

• Venda à prazo, mas esteja preparado para isso.

• Faça uma gestão financeira muito rigorosa porque isso traz resultados. Converse com se contador sobre esse tema.

• Invista na comunicação visual do seu ponto de venda.

• Marketing digital hoje é obrigação. Seus clientes estão todos navegando nas redes sociais. Seus concorrentes também.

Como o portal Quero Abrir Empresa pode te ajudar?

O portal Quero Abrir Empresa está pronto para apoiar a sua empresa de comércio, oferecendo uma legalização rápida e sem erros. É muito importante observar que o trabalho vai muito além do cumprimento da burocracia em si; pois oferecemos toda a assessoria para definir questões como a natureza jurídica e o regime tributário, entre outros, e isso é fundamental porque vai influir diretamente na lucratividade do negócio.

Também apoiamos na produção do contrato social, e você já sabe o quanto isso é importante, não é verdade? Somos especialistas em legalização de empresas, atuamos em todo o país e sabemos exatamente o que é o melhor para o seu tipo de negócio. Nossa experiência trabalhará a favor do seu empreendimento.

Também oferecemos assessoria contábil, empresarial, tributária e fiscal, apoiando o seu negócio com foco na gestão. Fale com um de nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas. Vamos conversar e trabalhar para que o seu empreendimento seja um negócio de sucesso.

Preciso Abrir Empresa