Como Abrir uma Empresa de Prestação de Serviços

Como abrir uma empresa de prestação de serviços

Neste texto abordaremos o tema Como Abrir uma Empresa de Prestação de Serviços. Saiba tudo para empreender com segurança e ter sucesso no seu negócio.

O brasileiro sonha em ter o seu próprio negócio, e não à toa nada menos do que 25% da população adulta do país empreende: hoje, temos quase 55 milhões de empreendedores.

Esse desejo é ainda mais forte entre profissionais liberais, como arquitetos, médicos, jornalistas, contadores, economistas, dentistas e tantos outros. Mas como abrir uma empresa de prestação de serviços?

Muitos destes profissionais liberais já trabalham por conta própria ou, ao menos, prestam serviços freelancers, e se perguntam: vale à pena abrir uma empresa de prestação de serviços?

Quais são as vantagens, os custos e, fundamentalmente, como dar esse passo? O portal Quero Abrir Empresa preparou esse conteúdo especialmente para você, que pensa no assunto e precisa de ajuda.

Acompanhe-nos até o fim deste artigo e saiba tudo sobre como abrir uma empresa de prestação de serviços. É importante dizer que você não está só: estamos prontos para lhe oferecer todo o apoio necessário. Quer tirar alguma dúvida? Procure um de nossos especialistas.

Botão Whatsapp         

O que é uma empresa prestadora de serviços?

A prestação de serviços é uma atividade remuneratória que não envolve a fabricação ou venda de mercadorias.

Portanto, toda empresa que oferece um serviço, como um consultório odontológico, uma seguradora e um salão de beleza, por exemplo, é uma empresa de prestação de serviços.

Também o que é muito atual atualmente é a prestação de serviços no mercado digital, podendo ser prestador de serviços, gestor de tráfego, afiliado, infoprodutor, youtuber, entre outros.

O que talvez você não saiba é a importância deste tipo de empresa para o país. O segmento é responsável por 70% do Produto Interno Bruto nacional (PIB).

Não há uma sociedade forte e com qualidade de vida sem uma rede prestadora de serviços atuante, diversificada e qualificada.

É vantajoso abrir uma empresa de prestação de serviços?

Um sem número de profissionais liberais já atuam de forma autônoma, mas de forma informal. Muitos ganham um bom dinheiro e se sentem satisfeitos. Mas será que vale à pena sair da informalidade e legalizar o negócio?

Para começo de conversa, estar informal não significa não pagar impostos. Afinal, o profissional liberal que passa recibo precisa se acertar com o imposto de renda e adotar o carnê leão.

Dono de uma microempresa, você poderá passar nota fiscal e até pagar menos impostos.

Além disso, uma empresa sempre traz mais credibilidade. E a maioria das empresas não costuma negociar com quem não pode passar nota fiscal, porque precisa justificar aquele gasto em sua contabilidade.

A resposta é: sim, é vantajoso porque permite que seu negócio cresça.

Comece pelo plano de negócios

Não tenha dúvidas de que o primeiro passo para abrir uma empresa prestadora de serviços é montar um excelente plano de negócios. Essa será a sua bússola rumo a uma empresa de sucesso.

No plano de negócios você irá listar todas as informações sobre o empreendimento, ou seja, vai se planejar.

Vai constar no seu plano de negócios os serviços que a empresa vai oferecer, os preços, os custos fixos e variáveis, o investimento a ser feito, o que precisa ser comprado, ações de marketing, estudo da concorrência, faturamento esperado, recursos humanos e todas as demais informações sobre a empresa.

Dessa forma, você evita erros e inconsistências que podem até mesmo inviabilizar o negócio.

Na internet é possível encontrar excelentes exemplos que servirão de base para o seu plano de negócios. Mas é claro que o conteúdo deverá ser elaborado por você, porque é absolutamente exclusivo do seu negócio.

Hora de contratar um escritório contábil especializado

Chegou a hora de você efetivamente colocar a empresa para funcionar, e o primeiríssimo passo para legalizá-la é contratar um escritório de contabilidade especializado para lhe ajudar no processo de abertura de empresa.

Há uma gincana burocrática pela frente, que será cumprida de forma muito mais rápida e sem erros por um especialista.

Mas não é só por isso que você deve chamar um contador para formalizar seu negócio. Na verdade, o trabalho do profissional vai muito além da ida aos cartórios e órgãos governamentais atrás de licenças.

Ele será absolutamente fundamental para lhe ajudar a definir uma série de questões inerentes ao funcionamento da empresa, como sua natureza jurídica e o regime tributário, por exemplo.

Vale lembrar que a contratação de um contador ou de um escritório de assessoria contábil é obrigatória por lei. Mas fique tranquilo: a contabilidade moderna é voltada para o resultado da empresa, ajudando na gestão e na tomada de decisões.

Portanto, mais do que obrigatória, a contabilidade é uma necessidade. E bem feita vai lhe ajudar a alavancar seu negócio.

Como escolher o seu contador?

Opte por uma assessoria amplamente reconhecida pelo mercado ou peça indicações para amigos empresários. Será ainda melhor se estas indicações vierem de empresas do mesmo ramo que a sua.

Prefira a empresa que já atende clientes do seu ramo de atuação. A especialidade é um diferencial porque oferece um conhecimento maior do assunto a ser tratado. Afinal, um especialista vai além do comum, não é verdade?

Visite os escritórios, se possível. Mas fundamentalmente converse sobre a estrutura, sobre a comunicação, sobre a disponibilidade do contador, sobre softwares de apoio e, ainda, sobre o contrato, para que não haja cobranças extras inesperadas.

Botão Whatsapp         

MEI: serve para você?

Profissionais liberais podem formalizar sua atuação profissional como um microempreendedor individual (MEI). Essa é uma natureza jurídica criada pelo governo justamente para tirar milhões de trabalhadores da informalidade, garantindo direitos como aposentadoria, por exemplo.

Uma MEI traz, no entanto, várias limitações que impedem o crescimento da sua empresa de prestação de serviços. Para começo de conversa, você só poderá contratar um funcionário.

importante saber, também, que um MEI só pode faturar até R$ 81 mil anuais, o que significa uma média de R$ 6.750,00 mensais. Se a ideia é ganhar mais do que isso, uma microempresa individual não serve para você.

A grande vantagem é que você terá um CNPJ, poderá emitir nota fiscal e pagará um imposto mensal muito pequeno, caso fature até o teto estipulado acima.

Não terá que desembolsar com tributos da empresa nada além de algo entre R$ 40,00 e R$ 60,00. Mas será que compensa?

O porte, a natureza jurídica e o regime tributário da empresa prestadora de serviços

Se você não se registrar como MEI, poderá abrir uma microempresa (ME) ou uma empresa de pequeno porte (EPP). Uma ME pode ter um ou mais donos e é classificada como um empreendimento que fatura até R$ 360 mil. Uma EPP fatura entre esse valor e R$ 4,8 milhões.

Mas qual será a natureza jurídica da sua empresa de prestação de serviços? Essa é uma definição que precisa ser resolvida antes mesmo da legalização propriamente dita. Ela define o tratamento legal da empresa, ou seja, quais leis deve seguir, o capital necessário e se poderá ou não haver sócios.

Principais Naturezas Jurídicas

  • Sociedade Empresária limitada, que serve para empresas que tem dois ou mais sócios. Os sócios respondem pessoalmente por dívidas da empresa até o valor do capital social.
  • Sociedade Limitada Unipessoal, tal qual sociedade simples limitada, mas aceita um só dono.
  • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada individual (EIRELI), que tem um único dono e o capital social é de no mínimo cem salários mínimos
  • Empresa Individual (EI), mas a lista de prestação de serviços que pode ter essa natureza jurídica é bem limitada.
  • Microempreendedor individual (MEI), já citada anteriormente.
Botão Whatsapp         

E o regime de tributação?

Essa escolha é fundamental pois trata-se dos impostos que a empresa terá que pagar. E isso é bem relevante, não é mesmo? O seu contador mais uma vez irá lhe ajudar, mas saiba que os três regimes de tributação são:

  • Simples Nacional: é para micro e pequenas empresas e simplifica em uma guia oito diferentes impostos federais, estaduais e municipais. O faturamento da empresa não pode ser superior a R$ 4,8 milhões anuais e nem todas as categorias profissionais podem optar por esse regime tributário. Consulte seu contador.
  • Lucro presumido: O limite de faturamento é de R$ 78 milhões anuais e os impostos são calculados sobre um lucro presumido. Em geral, é um bom regime tributário para prestadoras de serviço.
  • Lucro real: Os tributos são calculados sobre o faturamento real. Algumas empresas são obrigadas a utilizar esse regime tributário.

Muita atenção ao contrato social

Essa é uma etapa que precisa ser concluída com muita atenção e cuidado. Jamais, em hipótese alguma, pegue um contato social pronto da internet e utilize como seu. Por quê?

Porque um contrato social apresenta todas as regras de funcionamento da empresa e, por isso, deve ser individualizado.

Seu contador vai lhe ajudar nessa tarefa, não se preocupe. Há algumas cláusulas que são obrigatórias e padronizadas, é verdade, mas essencialmente esse documento é exclusivo e único para cada empresa.

É nele, por exemplo, que ficará estabelecido a participação dos sócios no negócio, bem como se haverá pró-labore e de quanto será. O contrato social também diz quem assina pela empresa.

O documento deve ser produzido com o seu contador e depois de aprovado precisa ser registrado na Junta Comercial. O contador fará antes uma busca para saber se o nome escolhido para a empresa está disponível.

Próximo passo: alvará de funcionamento e as licenças

Depois que o contrato social da empresa for registrado na Junta Comercial e o CNPJ obtido junto à Receita Federal, é hora de providenciar o alvará de funcionamento municipal e as licenças necessárias para o seu negócio.

Estes documentos são obrigatórios e não apresentá-los pode gerar multas e até mesmo o fechamento da empresa.

O alvará é obrigatório em todas as cidades do país. Em muitas cidades, é possível obtê-lo por meio da internet, junto a Secretaria de Fazenda de sua cidade.

Mesmo que sua empresa tenha como endereço o seu próprio imóvel residencial, o documento deve ser tirado. E isso também vale para um microempreendedor individual (mas ele conseguirá o documento por meio do Portal do Empreendedor, sem custos).

Além do alvará de funcionamento, sua empresa precisará de algumas licenças, e elas dependem do seu ramo de atuação. As principais são:

  • Atestado de Vistoria para Funcionamento do Corpo de Bombeiros;
  • Licença Ambiental (empresas de construção civil, de transporte e de turismo; pode ser a nível municipal, estadual e federal);
  • Licença Sanitária (saúde, higiene, beleza e alimentação);
  • Registro de produtos químicos (negócios que atuam com produtos controlados pela Polícia Federal).

E a inscrição estadual, como fica?

Todas as empresas que movimentam Imposto Sobre Circulação de Mercadorias (ICMS) e Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) precisam de inscrição estadual, ou seja, registro na Secretaria de Fazenda de seu Estado.

Não é o caso de uma empresa de prestação de serviços, que paga o Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Portanto, esse tipo de empresa está isenta de inscrição estadual. As exceções são empresas de serviços de transportes entre cidades e estados, de distribuição de energia elétrica e de prestação de serviços de telecomunicação.

Abertura de empresa de prestação de serviço

Quanto você vai gastar na abertura de empresa de Prestação de Serviços?

É claro que essa é uma pergunta muito importante, afinal será preciso gastar um bom dinheiro para montar o seu negócio, e a legalização também tem custos que precisam ser contabilizados. Os valores não são padronizados, dependem de algumas variáveis e até a cobrança das taxas não segue um padrão.

Tem cidade que oferece o alvará de funcionamento gratuitamente, enquanto outras chegam a cobrar R$ 2 mil pelo documento. É verdade que esse é um valor de exceção, mas faz muita diferença pagar em torno de R$ 400,00 ou nada desembolsar pelo alvará.

O trabalho do contador também tem valores relativos, ficando em algo entre R$ 800,00 e R$ 2 mil.

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) fez uma pesquisa e garante que, em média, abrir uma empresa custa R$ 2.038, sendo que este valor pode variar em até 274% pelas cidades brasileiras. De uma maneira geral, você deverá gastar algo perto disso.

Serviços em alta

Em geral, empreendedores que abrem uma empresa de prestação de serviços optam pelo seu ramo de atuação. Assim, um dentista abre uma clínica odontológica, um advogado um escritório jurídico e um contador uma assessoria contábil, entre tantos outros exemplos.

Mas claro que isso não é uma regra! Ainda mais nessa era em que o mercado digital está em alta, o mundo passa por uma reestruturação e tudo muda muito rápido. Mas claro, negócios são negócios, o que vale é se estruturar para atender bem e alcançar o sucesso.

Os serviços que estão em alta são:

  • Delivery
  • Mercado digital
  • Gestor de tráfego
  • Cuidados com a terceira idade
  • Home care
  • Serviços de pet shop
  • Serviços de construção civil

Dicas para alcançar uma empresa de sucesso

  • Não tenha dúvidas de que a prestação de serviços precisa, mais do que qualquer outra atividade, investir muito na excelência do atendimento. Isso é primordial e fato decisivo para o sucesso do negócio.
  • Jamais utilize softwares piratas. É proibido por lei e pode gerar pesadas multas. Além disso, programa pirata não oferece suporte do fabricante.
  • Invista nas redes sociais. Fale do seu trabalho e dos resultados, mas se for citar algum cliente não se esqueça de pedir autorização para publicar a informação.
  • As melhores oportunidades de negócios estão no próprio cliente que atendemos. Fique atento e busque ampliar sua prestação de serviços.
  • As contas bancárias da empresa não são suas. Jamais as utilize para pagar suas contas. Misturar finanças pessoais e empresariais é um erro que pode ter consequências negativas.
  • Faça do seu contador um verdadeiro consultor, um conselheiro para toda hora. Ele tem informações privilegiadas sobre o seu negócio que devem ser utilizadas para a tomada de decisões. Trabalhe com um contador que tem foco na sua gestão e não apenas na escrituração da contabilidade.
  • Mantenha em dia sua mente empreendedora. Jamais a abandone.
  • Estude. Se atualize. Se renove.

Como o portal Quero Abrir Empresa pode te ajudar?

Nós, do portal Quero Abrir Empresa, ficaremos muito felizes se esse artigo lhe ajudar na decisão de abrir a sua empresa, formalizando o seu negócio.

É um passo importante, que pode lhe trazer resultados financeiros e, mais do que isso, muita satisfação profissional.

Empreender é trabalhoso, mas absolutamente compensador, bem sabemos disso.

Se você ainda tem alguma dúvida ou quer discutir alguma questão relacionada ao assunto, não hesite em nos procurar. Estamos prontos para lhe atender, seja em que cidade você estiver.

Nossa missão é apoiar o empreendedorismo e o empreendedor, e fazemos isso de uma forma comprometida, desde a abertura da sua empresa até o seu dia a dia contábil.

Conte conosco. Fale agora com um de nossos especialistas e, juntos, vamos construir um empreendedorismo forte, de qualidade e de resultados.

Botão Whatsapp         

Obrigado! Sua mensagem foi enviada.

Agradecemos pela confiança.
Em breve um consultor entrará em contato.

Empresário Inquebrável
Open chat