Abertura de Empresa Passo a Passo

Entenda todos os passos para realizar a abertura de empresa de forma rápida e objetiva. Se você vai abrir empresa precisa entender de todos os passos necessários. Vamos ao conteúdo.

Você sempre sonhou em ter seu negócio e finalmente tem a oportunidade de se tornar dono da sua própria empresa. Tem uma ótima ideia, já elaborou o seu plano de negócios e dispõe do capital inicial para abrir as portas. E agora? Como abrir uma empresa? Qual é o passo a passo da abertura de uma empresa?

A informalidade não permite que um negócio, por melhor que pareça ser, vá adiante. Legalizar empresa é fundamental para o seu crescimento, até porque passa credibilidade e atinge um mercado muito maior a partir do momento que você pode passar nota fiscal na venda de produtos ou serviços.

Contratar uma assessoria contábil experiente e especializada é fundamental para abrir uma empresa. Além de ser obrigatório por lei contar com os serviços de um contador, a contabilidade moderna é voltada para os resultados do negócio e funciona como uma verdadeira ferramenta de gestão, agregando valor ao negócio.   papel do contador é fundamental na legalização também, como você poderá comprovar lendo esse conteúdo até o fim.

O 1º passo: plano de negócios

Não tenha dúvida alguma de que o primeiro passo para a abertura de empresa vem antes mesmo de sua formalização. Trata-se da realização de um plano de negócios.

Você tem uma ideia muito amarrada do seu novo negócio, mas como colocá-lo em prática? É por meio do plano de negócios que você irá planejar todo   seu negócio.

O plano de negócios vai conter todas as informações sobre o empreendimento. É como se fosse um manual de instruções.

Ali estará o nome da empresa, sua atividade fim, a descrição dos produtos ou serviços, precificação, investimentos a serem feitos, recursos humanos, estudo de mercado e da concorrência, ações de marketing, detalhamento de custos fixos e variáveis e até mesmo o quanto se espera faturar, entre tantas outras informações relevantes e inerentes ao negócio.

Em outras palavras, você irá se planejar. E, assim, poderá evitar erros e inconsistências. Um plano de negócios serve justamente para formatar o empreendimento e não realizá-lo é um erro que pode ter consequências bem negativas.

O 2º passo importante: contrate uma assessoria contábil especializada

A contratação de um contador ou de um escritório de contabilidade é obrigatória por lei para todas as empresas, a exceção das microempresas individuais (MEI).

No entanto, é uma necessidade muito maior do que apenas cumprir com a legislação. O trabalho do contador é fundamental para abrir uma empresa e ainda mais para o seu dia a dia.

Por meio do controle e planejamento dos números do negócio é possível tomar decisões estratégicas mais assertivas e ter uma visão absolutamente real da saúde financeira da empresa.

A contratação de uma assessoria contábil deve ser feita já na legalização do empreendimento. Além de o contador ter essa expertise, formalizando sua empresa de forma mais rápida e sem erros e custos extras, ele será absolutamente fundamental para lhe orientar sobre todo o processo.

Engana-se quem pensa que a abertura de uma empresa é apenas uma gincana burocrática, atrás de alvarás e licenças. Nada disso! É nessa hora que a empresa vai definir todas as suas questões de funcionamento, como a sua natureza jurídica, seu regime tributário, o CNAE, seu contrato social e outros.

O contador será muito importante nessa hora, porque explicará cada detalhe para o empreendedor optar pelo melhor para o seu negócio. É bom lembrar que escolhas erradas podem até mesmo inviabilizar alguma atividade fim da empresa.

Como contratar um bom contador para a sua empresa

Como você já pôde perceber, o contador será fundamental na abertura da empresa e no seu dia a dia também. Portanto, é importante escolher a melhor opção para o seu empreendimento. Mas como fazer essa escolha?

• Peça indicações para outros empresários, especialmente daqueles que atuam na mesma área que você.

• Tenha ao menos três nomes para avaliar.

• Visite pessoalmente o escritório do contador. Conheça sua estrutura, pergunte sobre softwares, converse sobre o trabalho, saiba como será a comunicação entre vocês e discuta o contrato, para que não haja surpresas no final do mês com cobranças extras que você não esperava.

• Um contador especializado no seu ramo pode oferecer um trabalho ainda mais direcionado.

• O contador é como um médico, precisa ser chamado a qualquer momento. Procure alguém que realmente tem disponibilidade e atua como um parceiro do seu negócio.

• Todo contador profissional deve ser registrado no Conselho Regional de Contabilidade.

Defina o porte da empresa: MEI, ME ou EPP?

Qual será o porte da sua empresa, o seu tamanho: microempresa individual, microempresa ou uma empresa de pequeno porte? A microempresa individual (MEI) tem faturamento limitado e várias restrições, como a contratação de apenas um funcionário.

Já a microempresa (ME) pode faturar até R$ 360 mil anuais, enquanto a empresa de pequeno porte (EPP) pode faturar de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões.

Há, ainda, empresa de médio e grande porte.

Qual será a natureza jurídica?

Na hora de legalizar sua empresa, você precisa definir a natureza jurídica do negócio. Cada natureza jurídica tem suas especificidades e certamente uma delas é a ideal para o seu empreendimento.

Mais uma vez, é o contador quem irá lhe ajudar a destrinchar esse assunto e escolher o melhor caminho a seguir. As principais naturezas jurídicas são:

• Sociedade Empresária limitada, que serve para empresas de comércio, prestação de serviços e indústria e é utilizada quando há dois ou mais sócios.

• Sociedade Limitada Pessoal, que é como a sociedade simples limitada, mas tem apenas um dono. A responsabilidade dos sócios é restrita ao valor do capital social.

• Empresa Individual de Responsabilidade Limitada individual (EIRELI), quando há apenas um dono. Ele não responde por dívidas da empresa, mas o capital social precisa ser de no mínimo cem salários mínimos.

• Empresa Individual (EI), que serve para a atividade comercial e industrial, além de uma lista limitada de prestação de serviços, e tem apenas um dono, que responde pela empresa com seus bens pessoais.

• Microempreendedor individual (MEI), que na verdade legaliza a atividade informal, com direito a CNPJ e emissão de nota fiscal, mas o faturamento é limitado a R$ 81 mil anuais, só é possível contar com um funcionário, sendo, assim, uma natureza jurídica engessada para o crescimento da empresa.

Atenção para a definição do CNAE

O CNAE é a Classificação Nacional de Atividade Econômica, ou seja, é como a sua atividade profissional será enquadrada. Toda empresa que produz bens ou serviços precisa ter ao menos um CNAE, e vale pontuar que é possível ter mais de um.

O CNAE estará registado no cartão do CNPJ da empresa e deve ser definido antes de solicitá-lo à Receita. A lista pode ser encontrada em www.cnae.ibge.gov.br, portal específico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Vale pontuar que a definição do CNAE também implicará no regime tributário a ser adotado, ou seja, quanto e quais impostos você pagará.

A empresa não poderá exercer uma atividade sem registrar o CNAE correspondente. Portanto, olho vivo. Converse com o seu contador com toda calma sobre esse assunto.

Qual regime tributário adotar?

Essa definição é essencial porque terá influência no próprio lucro do negócio, afinal o regime tributário escolhido definirá os impostos a serem pagos. E imposto é custo, que influencia no lucro, certo? Os três regimes tributários são:

• Simples Nacional: é um regime tributário simplificado, que unifica em uma só guia diferentes tributos municipais, estaduais e federais. A alíquota depende da atividade, e só pode adotá-lo micro e pequenas empresas com faturamento no máximo de R$ 4,8 milhões.

• Lucro presumido: os impostos a serem pagos são calculados sobre um lucro presumido. Não há unificação de impostos em uma guia só, e só podem aderir empresas que faturam até R$ 78 milhões. Em geral, é o melhor regime para empresas prestadoras de serviços.

• Lucro real: nesse caso, os impostos são calculados sobre o lucro real, ou seja, exatamente o que a empresa faturou. Algumas empresas são obrigadas a adotar esse regime tributário, como empresas que faturam mais do que R$ 78 milhões anuais.

A elaboração do contrato social requer muito cuidado

O contrato social da empresa é um instrumento jurídico de vital importância. É ali que estão as regras de funcionamento do negócio. Todo o funcionamento do empreendimento está definido ali, e o contrato social funciona como uma espécie de constituição.

É nele que estão definidas, por exemplo, as participações dos sócios na empresa. Também é ali que será registrado se haverá ou não pró-labore para os sócios, e de quanto.

Você precisa sentar com o seu contador e pedir ajuda para elaborar um contrato social absolutamente individualizado e que atenda aos anseios dos sócios.

É verdade que há na internet um sem número de modelos que podem ser copiados, mas isso não será bom para o seu negócio porque é você quem deve definir como a empresa funcionará, e não um modelo copiado da internet.

Há algumas cláusulas que são obrigatórias, mas não se preocupe porque o contador vai lhe dar todas as orientações necessárias. Feito o contrato social, ele deverá ser registrado na Junta Comercial e assim será possível solicitar o CNPJ à Receita Federal.

Alvará de funcionamento e demais licenças

Além de registrar o contrato social da empresa na Junta Comercial e solicitar o CNPJ junto à Receita Federal, é preciso obter o alvará de funcionamento e demais licenças municipais, estaduais e federais, dependendo do tipo do seu negócio.

O alvará de funcionamento é um documento municipal, exigido em todas as cidades brasileiras. Sem ele não é possível abrir as portas e iniciar as atividades profissionais da empresa, mesmo que ela esteja localizada na residência do proprietário.

Não obter o alvará de funcionamento pode trazer sérios problemas para a empresa, como o pagamento de multas e até mesmo o encerramento de suas atividades. Portanto, não é facultativo e precisa mesmo ser providenciado antes da empresa efetivamente começar a operar.

As licenças dependem do tipo de negócio e das legislações municipais, estaduais e federais. As principais são:

• Atestado de Vistoria para Funcionamento do Corpo de Bombeiros.

• Licença Ambiental (para indústrias, empresas de construção civil, de transporte, de turismo e atividades agrárias, dentre outras).

• Licença Sanitária (indispensáveis para as áreas de saúde, higiene e beleza).

• Licença para produtos de origem animal (no caso de comercialização de produtos de origem animal).

• Registro de produtos químicos (para produtos controlados pela Polícia Federal).

Fique tranquilo, o contador saberá exatamente todas as licenças necessárias e como obtê-las.

E a inscrição estadual, como fica?

Algumas empresas precisam ter inscrição estadual, como, por exemplo, empreendimentos de comércio. No Brasil, muitos estados têm convênio com a Receita Federal, e isso significa que a inscrição estadual poderá ser obtida junto do CNPJ.

Quanto custa abrir uma empresa?

Essa é uma pergunta que logo vem à cabeça de todo empreendedor que quer abrir um negócio, não é verdade? Esse valor é muito relativo, porque depende do tipo e tamanho de negócio e, também, onde ele se instalará. O Brasil tem 5.570 municípios, e as taxas não são padronizadas.

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) fez um estudo e afirma que a abertura de empresa custa em média R$ 2.038,00, podendo variar até 274% entre diferentes cidades do país.

Tem cidades que o alvará de funcionamento pode custar até R$ 2 mil, como Belém, e há os municípios que não cobram nada pelo documento, como São Luís, no Maranhão, e Ribeirão Preto, em São Paulo.

O preço cobrado pelo contador para a legalização também depende muito de cidade para cidade e do tipo de empresa. Em geral, esse valor deverá ficar entre R$ 800,00 e R$ 2 mil, mas pode ser maior em alguns casos específicos.

Dicas para abrir uma empresa rumo ao sucesso

• Pense grande, mas comece pequeno. Não dê passos maiores do que sua perna é capaz. Sonhe grande, sim, mas tenha os pés no chão e comece devagar, investindo e crescendo paulatinamente.

• Estude e se atualize permanentemente sobre o seu ramo de atuação. E não tire o olho da concorrência.

• Invista obrigatoriamente nas redes sociais. Seus clientes estão todos lá.

• Faça uma gestão financeira muito rigorosa. Converse sobre isso com o seu contador.

• Planeje sempre. Nenhum passo deve ser dado sem planejamentos e estudos.

• Nenhum passo deve ser dado sem uma conversa com seu contador. Ele tem informações que ajudarão – e muito – na tomada de decisões gerenciais.

• Jamais misture as finanças da empresa e pessoais. O resultado pode ser desastroso.

• Olho vivo no fluxo de caixa. Atenção total sobre as contas a pagar e a receber!

• Tenha sempre uma mente empreendedora.

Como o portal Quero Abrir Empresa pode te ajudar?

Definitivamente, você precisará do apoio de uma assessoria contábil especializada e experiente para a abertura de uma empresa. O portal Quero Abrir Empresa é especialista nisso, além de oferecer uma contabilidade moderna, comprometida com os resultados do seu negócio.

Sabemos exatamente o que você precisa para abrir sua empresa e estamos prontos para lhe oferecer todo o apoio e as informações para que esse processo seja rápido, produtivo e sem erros.

Nossa missão é apoiar o empreendedorismo e o fazemos em sua plenitude, por meio de uma assessoria contábil atuante, ativa e comprometida.

Fale com um de nossos especialistas já! Queremos saber quais são suas necessidades e como podemos lhe apoiar, sempre rumo ao sucesso.

Preciso Abrir Empresa